• Jaime Horn Junior

Análise de viabilidade de importação




A importação permite que empresas brasileiras possam alcançar o melhor nível de desempenho em sua atividades. Afinal, possibilita o acesso à tecnologias e produtos mais modernos e avançados, disponíveis no mercado externo, que fazem uma grande diferença no mercado nacional. 


Para que a sua empresa possa acompanhar o desenvolvimento do mercado mundial, se manter atualizada e, principalmente, competitiva em relação à concorrência, é necessário garantir as melhores condições e um bom planejamento de importação. Porém, realizar uma análise de viabilidade é o primeiro passo para tornar essa meta de negócio possível. Atente-se a seguir e veja as principais etapas a serem cumpridas ao realizar esse estudo. 


1. Defina as características da importação


Características do produto


O primeiro passo para a análise de viabilidade de importação é garantir que o produto a ser importado não se enquadra em proibições e restrições estabelecidas pela Receita Federal. Uma vez garantida a legalidade da importação, você deve estabelecer os requisitos do produto que são essenciais para sua empresa. Essa definição, posteriormente, irá guiar a prospecção e seleção de fornecedores.


Além disso, no caso das importações, a Classificação Fiscal de Mercadorias é determinada com base no HS Code (código do sistema harmonizado) do produto, que deve ser fornecido pelo exportador estrangeiro. A partir dela, é possível ter conhecimento sobre diversos aspectos que influenciam diretamente na viabilidade da importação. Por exemplo, tributos incidentes, suas alíquotas, efeitos de regimes aduaneiros, etc.


Licenciamento de importação


Após entender qual tipo de mercadoria será importada, lembre-se de observar a necessidade de Licença de Importação. De acordo com o MDIC, o Licenciamento de Importação, como regra geral, não é necessário, mas existem exceções:


“Em alguns casos, no entanto, exige-se o licenciamento, que poderá ser automático ou não automático, conforme o produto ou operação de

comércio exterior realizada (Portaria SECEX nº 23/2011), sendo necessária uma Licença de Importação (LI) com autorização prévia de um ou mais órgãos anuentes.

A LI é um documento eletrônico registrado pelo importador no SISCOMEX, que contém informações acerca da mercadoria a ser importada e da operação de importação de maneira geral, tais como importador, exportador, país de origem, procedência e aquisição, regime tributário, cobertura cambial, entre outras.”



Modalidade de importação


Você precisará pré-definir se haverá um intermediário no processo de importação. A importação pode ser feita de forma direta ou indireta.


Importação direta

  • possibilita contato direto com o fornecedor;

  • permite que a empresa tenha maior autonomia nas estratégias e negociações;

  • requer o desenvolvimento de know how em comércio exterior, bem como no que diz respeito à língua e costumes do exportador estrangeiro.


Importação indireta

  • a intermediária auxilia em todos os aspectos das operações (pesquisa de mercado, prospecção de fornecedores, negociações, planejamento tributário e logístico), superando, inclusive, barreiras culturais e linguísticas;

  • otimiza a realização das operações de exportação, já que a intermediária especializada já  possui know how e experiência;

  • as operações ocorrem com riscos significativamente reduzidos.


2. Realize a prospecção de fornecedores


O próximo passo é aprofundar-se em relação aos países que fornecem o produto, equipamento ou tecnologia desejados. Pesquise as estatísticas de mercado e informe-se sobre os principais países fornecedores do que você precisa. Lembre-se que é essencial levar em conta possíveis barreiras (administrativas, tributárias, etc), que possam existir nas nações estrangeiras.


Após afunilar e selecionar o país do qual pretende importar, compareça em feiras internacionais, utilize plataformas B2B e consulte relatórios da alfândega para encontrar empresas que possam cobrir a sua demanda. Será necessário filtrar as opções para encontrar um parceiro de negócios que: 

  • atenda a todos os requisitos que a sua empresa busca;

  • seja uma empresa comprovadamente regularizada e idônea.

  • tenha capacidade para produzir e entregar o produto sem perda de qualidade.


3. Analise a concorrência


Ao analisar seus concorrentes de mercado, é importante averiguar e acompanhar as propostas de inovação que eles aplicam em seus produtos. Muitas empresas importam com o objetivo de trazer maquinários, tecnologias e insumos que contribuirão para tornar sua oferta mais moderna, atualizada  e inovadora. Seus concorrentes possuem esse perfil? 

Procure saber: 

  • se importam mercadorias com intuito de estimular inovação;

  • de que países e fornecedores eles compram; 

  • como concretizam suas operações;

  • como funciona sua logística.


4. Aprofunde-se em custos e tributos


A etapa mais importante da análise de viabilidade de importação é o aprofundamento nos custos. É preciso quantificar:

  • custos logísticos;

  • impostos incidentes e não incidentes;

  • reduções tributárias;

  • tratamentos aduaneiros exigidos, tanto para exportações no país de origem (saída do produto da origem) quanto para importações no Brasil (chegada do produto no Brasil);

  • pagamento de taxas extras de importação. 

  • custo de financiamento do projeto de investimento

No que diz respeito às obrigações tributárias, caso a sua empresa pretenda importar bens de informática e/ou bens de telecomunicação, vale a pena buscar saber mais sobre o Ex-Tarifário. Se trata de um regime aduaneiro especial que promove exceções tarifárias, reduzindo a alíquota do Imposto de Importação que incide sobre esses tipos de bens, quando não houver a produção nacional equivalente desses bens, de suas partes, componentes e peças.


No processo de avaliação de custos de importação, também é mandatório levar em conta a volatilidade do mercado de câmbio e os impactos que ela pode causar na saúde financeira do seu negócio.


O projeto de investimento pode ser financiado através de capital próprio ou com capital de terceiros, através de financiamentos bancários. A FDA Finance é uma empresa de Consultoria Financeira especializada na gestão de financiamento internacional voltado para a aquisição de máquinas e equipamentos estrangeiros por empresas brasileiras, entre em contato com nossos especialistas para consultar maiores detalhes.


5. Garanta uma logística de qualidade


É obrigação do vendedor entregar as mercadorias ao transportador contratado ou indicado pelo comprador. Por isso, ao importar, é essencial entender as opções logísticas ideais para o seu produto e definir a mais vantajosa. Afinal, é preciso garantir o funcionamento efetivo da cadeia de suprimentos para que os prazos sejam sempre cumpridos, sem provocar gargalos.


Para definir o modal de transporte ideal para o seu negócio, é indispensável conhecer os principais métodos de transporte de cargas pesadas, bem como os principais modais de transporte:

  • marítimo;

  • aéreo;

  • rodoviário;

  • multimodal.

De qualquer maneira, após fazer o levantamento de custos logísticos, a melhor forma de evitar atrasos, imprevistos e gargalos é apostando em uma logística integrada, que garanta segurança e otimização em todas as etapas. Desta maneira, o serviço é realizado door-to-door e um responsável acompanhará todas as etapas do transporte, desde o ponto de origem até o destino final. 



Fonte: https://www.gruposerpa.com.br/viabilidade-importacao/

11 visualizações0 comentário